O comboio da linha de Sintra

Vemos aqui em baixo uma fotografia actual de uma carruagem de um comboio da linha de Sintra, arredores de Lisboa.

combioi de sintra web


Eu tinha 15 anos de idade quando fui expulso de Moçambique, pelo governo da Frelimo, pelo simples facto de eu ser de raça branca.

Estava eu sentado (com um grupo de colegas, depois das aulas no Liceu Salazar) na esplanada da pastelaria Princesa, na avenida 24 de Julho em Lourenço Marquês, quando uma brigada do exército da Frelimo cercou a área e começou a pedir identificação (Bilhete de Identidade). Como eu não tinha trazido o Bilhete de Identidade, fui preso e enviado para um campo de concentração perto da cidade do Xai-xai, onde estive cerca de três meses detido, sem culpa formada.

Repito: eu tinha 15 anos de idade.

Ao fim desse tempo de prisão sem culpa formada, a Frelimo concordou em libertar-me, mas com a condição de eu abandonar imediatamente o país (Moçambique). O meu passaporte (português) levou um carimbo vermelho de “persona non grata”, sendo que o meu “crime”, aos 15 anos de idade, foi o de não trazer comigo o Bilhete de Identidade.

Naquela época, pensei: “Moçambique é dos pretos”; e, de certo modo, aceitei a minha expulsão como o corolário da afirmação política da negritude em um país de pretos.

Porém, longe de mim estava a ideia de verificar que, os que me expulsaram de Moçambique, viriam mais tarde para Portugal para substituir a população portuguesa, em uma última e final humilhação dos brancos.

LISBOA EM 100 ANOS web

O papa Chico agora é especialista em Economia e Finanças

papa-freak-webDepois de ter defendido a tese segundo a qual “o papa não é marxista”, João César das Neves meteu a viola ao saco e tem mantido um silêncio absoluto nos me®dia.


Em 2016, o Chico defendeu a ideia de que “as empresas não devem existir para ganhar dinheiro”; e o João César das Neves calou-se, porque, alegadamente e segundo ele, o Chico “não é marxista”.

Segundo o Chico, as empresas “só existem para servir” (sic), mesmo que percam dinheiro e vão à falência.

Perante o silêncio de João César das Neves, presumi então que o Chico se tenha transformado em uma espécie de eminência parda da economia e finanças.

O Chico não é apenas “marxista”: é um homem muito perigoso, porque a utopia que sai da boca dele não é uma utopia de adolescente: é, em vez disso, uma ideologia de um homem velho.

Ele sabe que a utopia que propala não é (por própria definição) fazível — nem sequer Jesus Cristo defendeu essa utopia do paraíso na Terra.


Agora, o Chico vem defender a ideia de um “salário digno” para pessoas que não querem trabalhar (naturalmente que ¿o João César das Neves? Nem vê-lo!).

E vem defender também a ideia da redução da jornada laboral para 30 horas por semanaaquilo não é um papa! É um líder sindical!

Que coisa boa! Pagar às pessoas para não trabalhar, e ainda por cima reduzir a jornada laboral!

papa economista web

Dêem o Nobel da Economia ao homúnculo!, com o beneplácito do João César das Neves…


“O mais do que isto / É Jesus Cristo / Que não sabia nada de finanças / Nem consta que tivesse biblioteca…”

A Europa está a ser governada por alienados

1/ Neste texto ficamos a saber que o comportamento de um aerogerador, ao longo do tempo, é independente da evolução das “mudanças climáticas”, que afectam tudo excepto o negócio das chamadas “energias renováveis”.

“Assim, o preço do MWh de energia eólica vai depender muito mais dos custos do que da produção, porque a produção de um aerogerador é bastante previsível ao longo dos anos de vida útil e dos dados de vento do local da instalação.”

Tratando-se das eólicas, o vento passa a ser “previsível”, e, por isso, a imprevisibilidade causada pelas “mudanças climáticas” não existe.

Paradoxalmente, aqueles que são contra o chamado “Aquecimento Global Antropogénico”, contra o petróleo, e a favor das “energias renováveis”, são simultaneamente contra a energia nuclear.

ecologistas de merda web

As ciclovias de Lisboa e Porto não são concebidas para recreio!: são mesmo para obrigar o povão a ir para o trabalho montado à moda do chinês da década de 1950.

2/ Na Alemanha pós-Merkel, as estações de televisão já entraram numa campanha de mentalização dos alemães para o facto de que irão ser obrigados a passar frio em suas casas, no Inverno que vem aí (como aconteceu recentemente no Texas, com apagões recorrentes).

Depois de ter fechado as centrais nucleares (por pressão política da Esquerda), a Angela Merkel passou a importar gás natural da Rússia para substituir a energia nuclear— o que é um perfeito absurdo, se ligarmos um facto ao outro. E o preço do gás natural têm subido astronomicamente…!

Mas mais absurdo é o facto de a Alemanha estar a construir uma nova super central eléctrica alimentada a carvão, perto da cidade de Dortmund, depois de ter fechado TODAS as centrais nucleares…!

chinesinho limpopo web

3/ Vindo da Esquerda, não podemos esperar nada (absolutamente nada!) de coerente. Vindo da Esquerda, só podemos esperar ideologia. Enquanto as pessoas não ganharem consciência disto, o nível de vida das populações irá sempre piorar.

4/ Entretanto, as redes sociais (por exemplo, o YouTube) já anunciou que irá censurar as opiniões de quem é céptico em relação à eficácia das “energias renováveis”. Os cépticos das eólicas são os novos “negacionistas”.

5/ Quando há cada vez menos chineses a andar de bicicleta, as elites europeias criam vias específicas para bicicletas, nas cidades — mas não são vias de ciclismo para recreio do burguês: são mesmo vias para o cidadão ir pedalar para o trabalho, deixando livres as ruas para os automóveis das elites.

As ciclovias de Lisboa e Porto não são concebidas para recreio!: são mesmo para obrigar o povão a ir para o trabalho montado à moda do chinês da década de 1950.

Uma crítica da Fernanda Câncio é meio-elogio

Não consigo entender o ataque sanhoso de que é alvo a esquerdista Raquel Varela … vindo de gente da Esquerda, como é o caso da Fernanda Câncio!

De repente, esquerdistas de alto coturno parecem agora preocupados com a meritocracia (ou com a putativa falta desta).

Há uma coisa que devemos reconhecer: a Raquel Varela é uma mulher séria, mãe de família; mas o mesmo não podemos dizer da Fernanda Câncio que não serve de exemplo para quase nada de positivo.

Uma crítica da Fernanda Câncio é meio-elogio.

Fernanda cancio web

Tudo isto é “mero caso”; ou, sendo verdade, então é “Teoria da Conspiração"

O laboratório chinês da cidade de Wuhan, de onde saiu o vírus COVID-19 com “ganho de função” (potenciação do mal que causa), pertence (por mero acaso) à multinacional biológica “GlaxoSmithKline” que é também (por mero acaso) co-proprietária da farmacêutica “PFIZER” que fabrica a vacina contra o vírus que (por mero acaso) teve origem no laboratório biológico de Wuhan e que, por mero acaso, é também financiado pelos Estados Unidos através de um departamento governamental gerido pelo conhecido dr. Fauci que, por mero acaso, faz a promoção da venda da vacina.

A multinacional “GlaxoSmithKline” é, por puro e mero acaso, gerida pela divisão financeira da multinacional “Black Rock” que, por mero acaso, gere também a “Open Society Foundation” que pertence ao bilionário George Soros, e que também gere (por mero acaso) a companhia de seguros francesa AXA.

O bilionário George Soros detinha a posse — por mero acaso — da sociedade alemã “Winterthur” que, por mero acaso, foi responsável (operacional e de investimento) pela construção do tal laboratório na cidade de Wuhan; e, essa empresa “Winterthur” foi posteriormente recomprada (por mero acaso) pela empresa de seguros alemã “Allianz” que, por mero acaso, tem como accionista principal a multinacional “Vanguard” que, por mero acaso, é accionista da “Black Rock” mencionada acima, que, por sua vez e por mero acaso, controla os Bancos centrais europeus e gere cerca de 1/3 do capital de investimento mundial (Edge Funds).

Por pura coincidência e por mero acaso, a “Black Rock” é também accionista de referência da Microsoft que pertence (por mero acaso) ao bilionário Bill Gates que, por sua vez e por mero acaso, é um accionista da PFIZER, e Bill Gates é (por mero acaso) um dos principais patrocinadores (com muito dinheiro!) da OMS (Organização Mundial de Saúde).

Agora, o leitor já consegue entender como é que um morcego (¿ou um rato?), vendido no mercado de animais de Wuhan, contaminou (por mero acaso) o mundo inteiro com o COVID-19!

tanga das vacinas web

Irritado… mas com razão!

IRRITADO WEB“Anos atrás, houve quem propusesse a construção de instalações nucleares em Portugal, apresentando um projecto com pés e cabeça, o qual merecia, pelo menos, ser discutido. O nosso cangalheiro Sócrates apressou-se a declarar que a energia nuclear estava “fora da agenda”, e não se falou mais no assunto.

Talvez fosse (baldada esperança) de aplicar os milhões que se vai enterrar no “hidrogénio” – coisa mais que duvidosa – numa boa política nuclear. Mas a demagogia dita ambiental – será tudo menos isso – ganhará à razão e ao bom senso.”

ASNEIRAS ENERGÉTICAS

A questão dos submarinos franceses cancelados pela Austrália, é uma grande treta do porco Macron

  • Os submarinos franceses cuja compra foi cancelada pela Austrália, eram submarinos movidos a diesel / baterias.

  • Os submarinos vendidos pelos Estados Unidos à Austrália são submarinos movidos a energia nuclear, com uma autonomia incomensuravelmente maior do que os submarinos movidos a diesel.

  • Os Estados Unidos venderam os seus submarinos nucleares praticamente ao mesmo preço unitário dos submarinos a diesel franceses. Se eu fosse australiano, não hesitava um segundo em mudar de negócio.